segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

quadra

contra tal exercício
não há quem resista:
amar demais
engrossa a vista
antes 
de cada passo
deixo
de antemão
uma sobra
um espaço
em caso
de fracasso.
desde quando
você é
meu ainda?

cutucar

mesmo sabendo
que o gato atropelado
morreu
a gente ainda cutuca:
pega um graveto
ou usa o pé
pra atestar o óbito
o óbvio: morreu.
tem estômago
espalhado pela rua.
mesmo assim
a gente não digere bem
essa história de fim.
veja só eu aqui
cutucando você
com este poema.
o peito
é uma estante
de instantes.

fulano

você diz
que fulano
te vê mulher,
diferente
de mim.
que fulano
te vê assado,
e eu
te vejo assim.
veja bem:
fulano só
te enxerga
hoje,
enquanto eu
te vejo enfim.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

discursinho mole

há quem diga
que não se dobra.
repare: joelhos
juntas e articulações
existem para
esse tipo de situações:
salvar você da vergonha
de se quebrar
na frente de todo mundo.